Igrejas modernas: sejam ortodoxas Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda p

Você deve conhecer ao menos umas cinco igrejas com costumes mais modernos. Paredes escuras, show de luzes, pastores descolados… a receita é conhecida e recorrente. Podemos citar nomes como Hillsong, Bola de Neve e Brasa Church na lista.

De maneira nenhuma é censurável essa adequação do templo à realidade de seus membros. Por certo Jesus transforma, mas muito mais importante que esses detalhes de decoração (e de vestimenta, no caso dos membros) é o caráter e a retidão. Por isso, não quero entrar no mérito desse tipo de manifestação religiosa, o foco do texto é outro: quando essa flexibilidade e modernidade chegam à teologia da denominação.

A teologia de uma igreja deve ser levada muito a sério. Já nos é advertido, em Tito 2.1, que devemos nos apegar à sã doutrina, enquanto em Efésios 4 a admoestação é mais específica:

Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. (Efésios 4:14 ACF)

Em outras palavras, tanto no ensinar, quanto no aprender, nos é muito cristalina a ordenança de comprometimento, respeito e temor pela doutrina. É preciso tratar a teologia como algo muito sério, pois ela deve ser a exposição da verdade. E a verdade não é um simples tópico de debate, a verdade é uma pessoa: Jesus Cristo (João 14.6).

Quando modernizamos, flexibilizamos ou relativizamos a teologia, estamos fazendo algo muito perigoso, já que os resultados de um debate descompromissado sobre Jesus Cristo pode levar à morte espiritual, pois está escrito: “O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento;”. (Oseias 3.6a ACF)

É claro que muitas igrejas mais modernas tem profundo respeito pela ortodoxia e tratam teologia com uma seriedade estranha ao modo como aparentam ser. Isso porque eles têm plena noção de que as paredes escuras e as músicas agitadas não podem influenciar naquilo que é inegociável, qual seja, a sã doutrina.

Contudo, existem igrejas modernas, principalmente pequenas, relativamente novas e que começam com algum jovem líder insatisfeito com as determinações pastorais de sua antiga denominação, que simplesmente são imaturas, como meninos inconstantes, e são levadas por todo vento de doutrina. Não que isso não aconteça em igrejas propriamente ortodoxas no modo de ser, mas a questão que trato é a manifestação do desprendimento e modernidade em questões doutrinárias.

Teologia e doutrina são assuntos que devem ser tratados com academicismo, ortodoxia, profundo respeito e temor. Contudo, até mesmo a noção de teologia, para aqueles que não têm o devido respeito pelas Escrituras, sofre relativização. Por exemplo, ao acreditar que o Sola Scriptura diz respeito a uma total ruptura com a tradição[1] e com o magistério[2], a fim de afirmar coisas como “não me interessa o que o pastor diz, não me interessa o que a igreja decidiu, não me interessa, só quero saber da Bíblia”.

Essa visão é errônea, eis que o Sola Scriptura refere-se à não atribuição de inerrância bíblica à tradição e ao magistério. O Sola Scriptura afirma que a tradição e o magistério podem errar, mas nunca pretendeu afirmar que eles não importam. Faz parte da teologia séria levar em consideração as práticas e autoridade pastoral.

A teologia séria não rompe. A modernidade de uma igreja pode fazer crer que é seu papel chocar, causar espanto, divergência e até polêmica, mas não é isso que a Bíblia ensina. Na citada carta a Tito, capítulo 2, consta conforme segue:

Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra incorrupção, gravidade, sinceridade, Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós. (Tito 2:7-8 ACF)

Trate a teologia com academicismo, ortodoxia e seriedade. Teologia não é a conversa cabeça que você tem com seus amigos no caminho para o culto, ou de madrugada no retiro. Pode ser isso também, é claro, mas não pode parar aí. Teologia é o que Armínio e Calvino escreveram, é o que Agostinho ensinava, é o que CS Lewis e CH Spurgeon viviam. Teologia é ler, interpretar, compreender, questionar, debater e concluir. Com a graça de Deus, através do Espírito Santo, precisamos nos dedicar ao profundo estudo, se quisermos falar de doutrina.

Uma igreja moderna com teologia e doutrina ortodoxas tem potencial para alcançar multidões e levar a salvação aos centros urbanos de uma maneira surpreendente, porque ao mesmo tempo que vai ao encontro da cultura cotidiana das pessoas, criando um ambiente de identificação e de fácil assimilação, usa com maestria a espada viva e eficaz que é a Palavra de Deus, capaz de penetrar até a divisão entre alma e espírito, juntas e medulas, a fim de discernir pensamentos e intenções do coração (Hebreus 4.12). Que poderosa combinação.

Pintem as paredes de preto, mas não pintem o Evangelho conforme sua preferência; joguem luzes no palco, mas joguem mais luzes ainda na Palavra; cubram o chão de fumaça cênica, mas não cubram a visão com conhecimento raso e limitado.

[1] Prática doutrinária consolidada da igreja
[2] Atividade pela qual os líderes religiosos decidem e doutrinam dentro da igreja

MURAL DE RECADOS

SIGA-NOS!
FACEBOOK
INSTAGRAM